Despertar emoções, acalmar a mente, aliviar as dores, estimular a coragem, tratar o corpo físico, resgatar a auto-estima e resgatar os cuidados com a beleza: Tudo isso pode ser experienciado através de um óleo essencial. Mas afinal, como um simples óleo pode proporcionar tantos benefícios para a nossa mente e para o nosso corpo? Inicialmente, vamos compreender o que são os óleos essenciais: 

Os óleos essenciais são substâncias vegetais voláteis e extremamente concentradas extraídos a partir de flores, frutos, sementes, folhas, raízes e outras partes das plantas por diferentes métodos de extração. Penetram em nosso organismo ao serem inalados ou através da pele e assim, são absorvidos pela corrente sanguínea e metabolizados pelo corpo.

Formado basicamente por carbono, hidrogênio e oxigênio, o óleo essencial possui diversos componentes químicos, que por sua vez, possuem diversas propriedades terapêuticas, analgésicas, antissépticas, anti-inflamatória, antiviral, ansiolítica, anti-histamínica, digestiva, estimulante, emulsificadora de gorduras, relaxante muscular, dentre várias outras que atuam na recuperação, fortalecimento e equilíbrio da nossa saúde física, mental, emocional e energética. 

Mesmo que você não seja um especialista da área, você pode utilizar os óleos essenciais no seu dia a dia, usufruindo de seus benefícios e potencial terapêutico, porém, mesmo sendo 100% natural, a utilização do óleo exige certos cuidados, extremamente importantes, dentre eles, podemos citar como exemplo a cautela que devemos ter para que os óleos essenciais, sejam sempre administrados diluídos – por serem altamente concentrados – pois em caso contrário, podem ocasionar diversos problemas, como por exemplo, uma queimadura na pele. Por esse motivo e diversos outros é muito importante que inicialmente, você conte com uma orientação profissional, tanto para compreender como utilizá-los, quanto para ser orientado sobre qual a essência mais apropriada para suas necessidades naquele determinado momento. Apesar disso, alguns óleos essenciais – como o de lavanda – podem ser utilizados com muita segurança e diversos benefícios, como pode-se ler abaixo em um trecho do livro de Ailla Pacheco (2018):

“Ela (a lavanda) tem diversas propriedades terapêuticas: ação antifúngica, analgésica, anti-inflamatória, bactericida, sedativa, cicatrizante e, especialmente, calmante. O óleo essencial de lavanda é um dos únicos que pode ser aplicado diretamente sobre a pele e é comumente utilizado para aliviar tensão muscular, estresse, ansiedade e insônia. Pesquisas cientificas comprovam a ação ansiolítica da lavanda, apontando que ela e tão eficaz quanto o benzodiazepínico lorazepam, porém, com o benefício da ausência de dependência e síndrome de abstinência (Silenieks et al., 2013). Estudos demonstram sua eficácia em adultos com desordem de ansiedade generalizada (Woelk; Schläfke, 2010) e também em situações de estresse pós-traumático, apontando significativa reducao do estresse em voluntários humanos submetidos a inalação do óleo essencial (Lavandula angustifolia). Isso porque ela reduz o influxo de cálcio nos terminais pre-sinápticos em neurônios hiperexcitados pré-sinápticos do hipocampo, e a liberação de neurotransmissores excitatorios, como o glutamato (Carrasco et al., 2013; Schuwald et al., 2013).” (Pacheco, Ailla. Essencial’mente Yoga, pg 152)

E como age o óleo essencial? 

Pela inalação, as moléculas aromáticas dos óleos essenciais são assimiladas pelas narinas e transmitem sua mensagem por via do bulbo olfativo para o sistema límbico, responsável por nossas memórias, sentimentos e emoções. E o poder dos óleos é tão incrível que, até mesmo que tem anosmia parcial ou definitiva – ou seja, quem não sente cheiro – pode se beneficiar das propriedades terapêuticas dos óleos essenciais, pois não é o cheiro que traz o benefício e sim as substâncias químicas que compõem suas moléculas aromáticas. Isso é demais, não é mesmo?

Quando absorvidos pelos pulmões, os óleos essenciais passam diretamente para corrente sanguínea e assim, são distribuídos para todos os órgãos do corpo.

Na pele, eles penetram pelos ductos das glândulas sudoríparas e ao redor das células mortas da epiderme. A maioria dos componentes dos óleos essenciais é lipossolúvel e por isso, de fácil penetração na pele. Assim, eles são absorvidos pela epiderme permanecendo por algumas horas e depois são gradualmente liberados para a derme – que é mais permeável – e entram nos vasos sanguíneos, percorrendo todo organismo. 

E a Aromaterapia, o que é?

A ciência dos aromas está presente no mundo há milhares de anos. O uso das ervas aromáticas sempre esteve presente nas civilizações para tratar doenças, para fins religiosos e até estéticos.

A palavra “aromaterapia” foi usada pela primeira vez em 1937 pelo químico francês René Maurice Gattefossé, em seu livro Aromathérapie.  

No seu laboratório, em 1910, acidentalmente o seu braço pegou fogo e na tentativa de apagá-lo, ele o colocou em um líquido frio mais próximo, que era um recipiente com óleo essencial de Lavanda. Imediatamente ele percebeu o alívio da dor surpreendente e, em vez do prolongado processo, normalmente experimentado durante a recuperação de queimaduras anteriores – que causavam vermelhidão, calor, inflamação, bolhas e cicatrizes – esta queimadura foi curada com uma rapidez impressionante, com um mínimo de desconforto e sem cicatrizes.

A aplicação do óleo essencial de Lavanda foi claramente um ato intencional, embora o resultado ainda assim o tenha encantado, e, possivelmente, salvou sua vida. 

Esse episódio de Gattefossé incentivou o médico militar Jean Valnet a utilizar os óleos essenciais nos tratamentos em soldados na Segunda Guerra Mundial, após descobrir suas propriedades regeneradoras e antissépticas. Usou também o termo Aromaterapia em seu livro Aromaterapia – tratamento das enfermidades pelas essências das plantas, em 1964.

Assim, a Aromaterapia é uma terapia complementar que utiliza as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais, substâncias naturais, muito concentradas, extraídas de plantas, para promoção da saúde e bem-estar das pessoas de forma integral, atuando no físico, emocional e energético.

Na Clínica Ailla Pacheco, localizada em Belo Horizonte, oferecemos atendimentos utilizando a aromaterapia, além de workshops e cursos sobre a temática! Venha conhecer nosso trabalho, realizado com muito amor! E se você mora em outra cidade, continue nos acompanhando em nossas redes sociais, pois frequentemente oferecemos gratuitamente aos nossos seguidores diversos conteúdos relacionados à aromaterapia e outras práticas integrativas de saúde.

Com amor,
Ailla e Zi.